FOTO ORIGINAL 
FOTO ENVIADA PELA COLABORADORA  Aria Cukier

FOTO ANTIGA PERTO DO BATELOS EM SANTA CLARA -1982

NÃO SABEMOS O ANO AINDA 
 FOTO ORIGINAL 
FOTO DO COLABORADOR Sipriano Silva Batalha DE BARRA DO ITABAPOANA-

FOTO ANTIGA DA PROCISSÃO DE SÃO SEBASTIÃO EM BARRA DO ITABAPOANA -

 QUEM PODE NOS  AJUDAR? NÃO SABEMOS O NOME DE TODOS OS JUGADORES DESSE TIME !!!!

LALAU,???,TENORO,????,REINALDO, ZEZE,MACHADO,
SERGINHO,SADI,???,????GILSON, NENÊ,GRIMALDO

FOTO ORIGINAL ABAIXO 

F

TIME DO ANTIGO SERTÃO DA LOCALIDADE DE BOM LUGAR

Naufrágio encontrado pela equipe da operadora Atlantes de Guarapari, durante uma expedição realizada em 20/12/2005.

Localização31 milhas de terra – Ponta do Buriri – Barra de Itabapoana
Profundidade (m)33
Visibilidade (m)20
EstadoInteiro
TipoCasco de aço em posição de navegação. Possibilidade de ser uma Chata de Combustível.
Dimensões (m)35

NAUFRÁGIO ENCONTRADO EM GURIRI

TIPITY 1940

INAUGURAÇÃO DO Vapor "ITABAPOANA" 1864
DECRETO N. 3.232 - DE 10 DE MARÇO DE 1864
Concede á Carlos Pinto de Figueiredo e Eduardo Joaquim Pereira de Oliveira privilegio por dez annos para estabelecerem a navegação por vapor no rio Itabapoana.
Attendendo ao que Me representárão Carlos Pinto de Figueiredo e Eduardo Joaquim Pereira de Oliveira, Hei por bem, na conformidade da Lei nº 60 de 8 de Outubro de 1833, Conceder-lhes privilegio por tempo de dez annos para estabelecerem, por si ou por meio de uma Companhia, a navegação por vapor no rio Itabapoana, nas Provincias do Rio de Janeiro e Espirito Santo, mediante as clausulas, que com este baixão, assinadas por Domiciano Leite Ribeiro, do Meu Conselho, Ministro e Secretario de Estado dos Negocios da Agricultura, Commercio e Obras Publicas, que assim o tenha entendido e faça executar. Palacio do Rio de Janeiro em dez de Março de mil oitocentos sessenta e quatro, quadragesimo terceiro da Independencia e do Imperio.
Com a Rubrica de Sua Magestade o Imperador.
Domiciano Leite Ribeiro.
Clausulas a que se refere o Decreto nº 3.232 de 10 de Março de 1864.
Os concessionarios se obrigão a estabelecer, por si ou por meio de uma Companhia, a navegação por vapor no rio Itabapoana desde a sua foz, no Oceano, até o porto da Limeira.
Esta navegação deverá ter começo dentro do prazo de um anno, contado desta data, e será continuada com toda a regularidade emquanto durar o presente privilegio.
Os concessionarios declararáõ perante o Ministerio da Agricultura, Commercio e Obras Publicas o numero de viagens que deveráõ fazer durante o anno, especificando as épocas, em que terão lugar; e não poderão alterar o numero e a ordem das viagens estabelecidas, salvo se provarem, a contento do Governo Imperial, a conveniencia da alteração.
Apresentaráõ á approvação do mesmo Governo a tabella dos preços de transporte dos passageiros e cargas, a qual não podera nunca ser alterada sem autorisação delle.
Esta concessão será nulla e de nenhum efeito se dentro do prazo marcado na clausula segunda não estiver estabelecida a navegação, e com toda regularidade. Caducará tambem no caso de ficar interrompida por mais de seis mezes, sem motivo justificado perante o Ministerio da Agricultura.
Em cada viagem de ida ou de volta, terão passagem gratuita, pagando, porém, as respectivas comedorias, até duas pessoas, que forem empregadas em serviço do Governo, precedendo ordem por escripto. Não se utilisando o Governo, em qualquer viagem, das duas passagens gratuitas, não poderá por isso dispôr de maior numero de lugares em qualquer das viagens seguintes.
Será tambem gratuito o transporte das malas do Correio, e bem assim de quaesquer sommas e cargas mandadas pelo Governo, não excedendo ao peso de trinta e seis arrobas em cada viagem, ou de ida ou de volta. As cargas serão recebidas e entregues á bordo, e as malas nas Agencias, ou a pessoas competentemente autorisadas.
O Governo pagará vinte por cento menos do que os particulares pelo transporte de colonos e passagens, e pelo frete de cargas.
Findo o prazo do privilegio, os concessionarios ou a Companhia que organisarem, perderáõ o direito ás obras que tiverem feito no leito do rio ou na sua foz, para facilitarem a navegação, sem direito algum á qualquer indemnisação.
Palacio do Rio de Janeiro em 10 de Março de 1864. - Domiciano Leite Ribeiro.
FONTE:http://legis.senado.gov.br
FOTO DO ESTALEIRO DE ALBERTO SIMÕES COM AO QUE PARECE COM UMA EMBARCAÇÃO A VAPOR
 MODELO SIMILAR AO ITABAPOANA 
MONTAGEM

VAPOR ITABAPOANA- SÉCULO 19(XIX) EM BARRA DO ITABAPOANA-RJ


IMAGEM DA PRIMEIRA IGREJA DE BARRA DO ITABAPOANA -
CÓPIA DA TELA PINTADA PELO ARTISTA PLÁSTICO ROBERTO 

IMAGEM DA PRIMEIRA IGREJA DE BARRA DO ITABAPOANA -

FOTO EM FRETE AO POSTO DE SAÚDE 
FOTO ENVIADA PELA COLABORADORA ENAZIELMA RIOS DE BARRA DO ITABAPOANA

FOTO DE BARRA DO ITABAPOANA DÉCADA DE 60

Sessão da Câmara Municipal de São João da Barra. Final dos anos 1960. Foto cedida pelo colaborador e Jornalista Maurício Barreto

Foto de São João da Barra. Final dos anos 1960.



CURTA PRODUZIDO PELO CIEP 470 -SFI  em uma parceria com o Departamento de Cultura da SMEC - PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA

DOCUMENTÁRIO(CURTA METRAGEM) MOSTRANDO EXEMPLOS DE ALGUMAS TRADIÇOES DA IDENTIDADE CULTURAL DE SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA-RJ

Texto retirado do blog do Paulo Noel
Naquela Praia foi descoberto um cemitério de escravos, reconhecido como sítio arqueológico pelo Ipahn.



       O Blog do Paulo Noel esteve na Praia de Manguinhos e mostra para nossos internautas o ponto da Praia onde, segundo historiadores, aportavam os navios negreiros. Conheça também o local da descoberta do possível cemitério de escravos que despertou a atenção de técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
Foto: Uellington Soares
Duas arqueólogas do Instituto visitaram o local em 2003. Depois de analisar o material encontrado, o acervo foi registrado no órgão sendo reconhecido como sítio arqueológico.
Após análises preliminares, há fortes indícios de que as ossadas possam ser de escravos, já que dados históricos indicam que a costa sanfranciscana foi uma região de grande importância no comércio de escravos no período colonial.

Em artigo escrito e publicado nesta segunda-feira, 26-01, no Blog, o professor e ambientalista Arthur Soffiati diz que Manguinhos foi praia de desembarque de escravos trazidos da África depois de proibido o tráfico pelas Leis Euzébio de Queiroz (1850) e Nabuco de Araújo (1854). O principal traficante era André Gonçalves da Graça, que morava em São João da Barra, tinha casa em Gargaú e transportava os escravos para a Fazenda São Pedro, hoje integrante da Estação Ecológica Estadual de Guaxindiba. Os que morriam eram enterrados na Praia de Manguinhos. Recentemente, o movimento do mar desenterrou um verdadeiro cemitério de escravos.
Foto: Uellington Soares


Foto: Uellington Soares

Foto: Uellington Soares

Histórico
A primeira ossada encontrada na praia de Manguinhos ocorreu na década de 70. Em 2003, depois de uma forte ressaca, vários outros esqueletos foram descobertos. Na época um outro instituto avaliou o acervo, mas não houve respostas quanto ao material analisado. 
Veja o vídeo feito pelo Blog.

VÍDEO - SÍTIO ARQUEOLÓGICO - CEMITÉRIO DE ESCRAVOS DE MANGUINHOS EM SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA-RJ


PROJETO 360° - ANTIGA CASA DO BARÃO KUMMER- EM BARRA DO ITABAPOANA

PROJETO 360° - CENTRO SOCIAL LUZ DE BARRA - EM BARRA DO ITABAPOANA



PROJETO 360 - RUÍNAS DA TIPITY


PROJETO 360°- BARRACÃO DE GARGAÚ -


e

PROJETO 360- PRAIA DE LAGOA DOCE


PROJETO 360 - RIO PARAÍBA DO SUL

PROJETO 360° - CAIS DE BARRA DO ITABAPOANA -RJ

Fotos recente do histórico "Pequeno Trem da Tipity", enviadas pela colaboradora Letícia Vianna.

FOTOS RECENTE DO HISTÓRICO PEQUENO TREM DA TIPITY- 1940 / 2016



NOVO VÍDEO DO BOI DOURADO - 2016

PROJETOS